Cena inusitada: Torcedor do Grêmio ganha carona de Kannemann após se vestir de Homem Aranha

Cena inusitada: Torcedor do Grêmio ganha carona de Kannemann após se vestir de Homem Aranha

Anúncios
Anúncios

O pequeno Matheus de Souza também foi presenteado pelo zagueiro com uma camisa do zagueiro.

Tudo deu errado. Estava chovendo. A bateria do telefone está morrendo. O relógio mostrava que eles estavam atrasados. Ainda assim, Brunno de Souza e seu filho Matheus saíram de sua casa em Canoas com um guarda-chuva. Eles levaram a Trensub ao CT Luiz Carvalho para tentar a sorte. Apesar das dificuldades, ela sorriu para os dois na tarde desta quinta-feira (14).

Anúncios
Anúncios

O alvo é Walter Kahneman. Para chamar a atenção do zagueiro do Grêmio, eles produziram um cartaz pedindo ao presidente Romildo Borzan Junho a renovação do contrato do zagueiro argentino, que vence no final do ano. Como medida para aumentar suas chances de sucesso, Bruno se vestiu de Homem-Aranha, uma fantasia que usava em seu momento crucial de vender bombons nas ruas. O “super-herói” foi oferecido como moeda de troca permanente para a Libertadores de 2017.

Quando chegamos ao centro de treinamento, a maioria dos jogadores já havia saido. A salvação e o último jogador foi o Edilson. A cena despertou o interesse de ambas as partes. Ele pegou o telefone, tirou uma foto do pai e do filho e disse que mostraria a foto para o zagueiro Kannemann. Enquanto esperavam, os dois ficaram esperando do lado de fora, se protegendo da chuva forte que caía naquele momento.

— O segurança avisou que o Kannemann estava vindo. Ele passou reto, mas não muito rápido. Achei que não ia parar, mas parou e desceu. Aí já esbarrei no choro.

Matheus de 10 anos
Anúncios
Anúncios

O argentino entregou uma camisa comemorativa aos jovem Gremista. Ele até se desculpou por não ter dado uma de jogo ao menino, já que ele não jogou os últimos jogos. Com a bateria do celular de Bruno descarregada, as fotos foram tiradas com o aparelho do jogador. Depois de mais uma boa vontade do zagueiro, era hora de se despedir enquanto o mundo desmoronava de chuva ao norte de Porto Alegre. Além de evitar se molhar, pai e filho também contrataram um motorista de luxo, o zagueiro Kannemann acabou dando carona. No caminho, falaram muito sobre o Grêmio, as lesões de Kannemann e o futuro.

— Quando entrei no carro foi um sonho. O Kannemann foi na maior humildade — revela Matheus. — Foi gente fina para caramba. Mandou muito bem de Uber, mas ainda é melhor como zagueiro.

Pai do Matheus

admin

Gremista

© Gremista. Todos os direitos reservados.