Tag: GrêmioXCricíuma

Sob pressão, Roger tenta encerrar jejum para amenizar ambiente no Grêmio

O jogo desta terça-feira contra o Criscíuma (30 jogos) dará o tom para a fase final da série B do Grêmio. Três jogos sem vitória, todos no clube sabem que só uma boa corrida em Santa Catarina vai compensar a pressão dos bastidores. O principal alvo das denúncias, e principal objeto de críticas dos torcedores, é o controle de Roger Machado sobre manter de seu trabalho no clube.

A derrota para o Ituano somou-se à insatisfação com a instabilidade apresentada pelo lado de Roger Machado. No jogo da última sexta-feira contra o São Paulo, com a bola ainda rolando, a torcida gritou o nome de Renato Portalupi e vaiou as substituições do técnico. Apesar da pressão, outros papéis além do CT ainda têm mais demandas.

No departamento de Futebol, a idéia é a manutenção e o suporte do trabalho. Roger e o presidente Romildo Bolzan Jr são cúmplices da mútua admiração e compreensão da situação atual. Mesmo entre os críticos, a dificuldade na mudança do comando da equipe é um consenso. Um dos motivos mais citados foi a impossibilidade de fazer grandes mudanças nas 11 rodadas restantes.

Seja qual for a escalação desta terça-feira (30), o resgate histórico pode ser fonte de alento para os supersticiosos. Em outros momentos difíceis, o Grêmio se animou após o confronto em Heriberto Hurse. Em 2003, na luta contra o rebaixamento, a vitória catarinense manteve o clube na Série A com um resultado quase impossível nas fases finais do jogo. Nos últimos jogos de Roger como lateral-esquerdo, o Tricolor venceu um jogo acirrado por 2 a 0 em casa e alcançou o placar necessário para escapar na última rodada com uma vitória sobre o Corinthians, no Olímpico.

Grêmio não vence há três jogos e vê pressão aumentar na Série B

Os altos e baixos já estavam previstos pelo treinador antes que o acesso fosse concedido. Em entrevista exclusiva com a ge, o Roger foi questionado se a equipe havia conseguido um “voo de cruzeiro”, uma figura de linguagem usada para denotar um caminho de entrada estável.

– A gente subiu para altura de cruzeiro, mas no caminho até o acesso a gente vai encontrar o tempo fechado, um vento na direção contrária. Acho que a gente alcançou altura do cruzeiro, mas eu sempre falei que a gente não vai subir em agosto. O torcedor e vocês vão ter que aprender a lidar com isso e a gente do lado de cá manter o otimismo. Se eu pudesse subir e ganhar todas até agosto, é óbvio que quero, já tinha subido, mas isso a gente sabe que dificilmente acontece – disse Roger.

Após essa pergunta, o treinador falou sobre a frustração. Momentos de instabilidade perturbam a casa. O Grêmio perdeu o contato com o Cruzeiro – agora com 13 pontos de diferença – e não está mais “virtualmente” lutando pelo título.

Segundo a UFMG, a probabilidade do tricolor vencer o campeonato atualmente é de 0,65%. A diferença quinto colocado caiu de 10 pontos para 6 pontos, e os olhos que antes estavam focados nos líderes voltaram para o time debaixo da tabela. Londrina (38 pontos) e Sport (37) tentaram ameaçar Vasco (42) e Grêmio (44).

Na noite desta terça-feira, o Tricolor visita Criciúma pela 27ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. A partir das 21h30, a bola rola no Estádio Heriberto Hülse (do Brasil

Brasileirão série B, Grêmio, Grêmio hoje, GrêmioXCricíuma, Roger Machado

Gremista

© Gremista. Todos os direitos reservados.