Impacto nas contas no Grêmio chegam a 10 milhões com a saída de 9 jogadores

Impacto nas contas no Grêmio chegam a 10 milhões com a saída de 9 jogadores

Anúncios
Anúncios

O foco do Grêmio nesta janela de transferências é aliviar as contas do clube. Prova disso é que apenas dois jogadores foram emprestados, Lucas Leiva e Guilherme, desde que Thaciano foi trazido de volta por empréstimo. Por outro lado, saíram nove atletas e, entre o que ganharam e o que não gastaram, o clube calculou um alívio de cerca de 10 milhões de reais nas contas.

Anúncios
Anúncios

Com o clube rebaixado para a Série B, a receita do Grêmio caiu repentinamente em 120 milhões de reais. É por isso que o departamento de futebol do clube está focado na liberação de jogadores para melhorar suas finanças.

Antes mesmo de abrir a janela de transferências, em 17 de julho, o presidente Romildo Bolzan disse em entrevista disse que administraria a saída de atletas. O presidente também reconheceu que, após um longo período de tempo, a tendência terminou em déficit.

Anúncios
Anúncios

Essa cena explica as movimentações do Grêmio no mercado de bola e, mais especificamente, a saída de jogadores. Até agora, oito atletas deixaram Porto Alegre. Alguns tiveram seus contratos rescindidos e alguns foram emprestados. Há também o caso de Rildo, que foi emprestado ao Bahia e negociado em caráter permanente.

Com a saída de Michel, cujo contrato foi rescindido, o Tricolor recebeu um prejuízo financeiro de 800 mil reais. Elias está emprestado até o final do ano, com opção de compra, com impacto na conta de cerca de 1 milhão de reais entre o valor que o clube receberá e quando deixará de gastar com o jogador.

Outro jogador recentemente negociado que teve um grande impacto nesta conta é o zagueiro Rodrigues. Pelo empréstimo, o San José Earthquakes da MLS pagará ao Grêmio US$ 500 mil (R$ 2,6 milhões), metade agora e o restante em janeiro.

Juntamente com a soma dos salários que o clube deixará de pagar, o impacto positivo até o final de 2022 é de 2 milhões de reais. Com o jogador, o clube ainda pode faturar até R$ 1,2 milhão (R$ 6,2 milhões) graças a um passe fixo.

Um atleta que nem usa camisa tricolor e dá lucro para o clube é Rildo. O atacante estava emprestado ao Bahia, mas foi vendido de Portugal ao Santa Clara nesta janela por cerca de 1 milhão de euros (5 milhões de reais). O Tricolor levou 60% do valor.

Combinando com as saídas de Matheus Frizzo, Victor Bobsin, Elias e Ricardinho, o Tricolor deixou de pagar quase 1 milhão de reais em salários antes do final da temporada. Destes, apenas Ricardinho faz parte da equipe profissional, os demais estão treinando no grupo de transição.

Aliás, esse é o tom dos negócios do Grêmio. Embora o departamento de futebol tenha priorizado a liberação de jogadores, isso não afetou muito a qualidade técnica do time, pois alguns jogadores que saíram não vinham sendo muito aproveitados no elenco do treinador.

Todos que saíram de Porto Alegre têm uma coisa em comum: já estão pensando em sair do clube porque querem mais tempo de jogo porque não é a primeira que a escolha de Roger tem sido outra. Além disso, é algo que é conduzido e discutido entre clubes e atletas.

Fernando Henrique é outro jogador que pode deixar o Grêmio. O meio-campista chegou a fazer uma viagem a Belo Horizonte para um empréstimo do Cruzeiro, mas o Tricolor desistiu do negócio e pediu que o jovem voltasse a Porto Alegre. Atualmente, ele está treinando normalmente com a equipe, mas não tem perspectiva de ser explorado.

Em outras palavras, os torcedores não devem esperar novas contratações. Os dirigentes mencionaram mais de uma vez que o clube está sempre de olho no mercado e pode analisar reforços caso seja fechado um acordo que atenda às exigências do Grêmio. No entanto, é claro que esta não é a prioridade atual.

Gremista

© Gremista. Todos os direitos reservados.